A delegação nigeriana vai auxiliar técnicos guineenses a configurar o servidor, visando – de acordo com o Gabinete de Apoio ao Processo Eleitoral – a consolidação dos dados do registo dos eleitores, para produção dos cadernos eleitorais.

O PRS e outros partidos políticos lançaram dúvidas sobre a credibilidade do recenseamento eleitoral, tendo exigido a convocação da empresa nigeriana envolvida no processo, a transferência da gestão do processo para o país e a mudança dos dados para um novo.

A transferência de competências dos técnicos nigerianos para elementos do Gabinete de Apoio ao Processo Eleitoral vai ser observada por representantes dos partidos políticos.

As Eleições Legislativas estavam marcadas para 18 de Novembro, mas o Presidente adiou-as sine-die, depois de consultar o Presidente da Comunidade da África Ocidental. José Mário Vaz faz depender a marcação de nova data, da conclusão do recenseamento.

O Gabinete de Apoio ao Processo Eleitoral tem reiterado que os partidos têm tido acesso ao processo de recenseamento dos eleitores, tendo por objectivo assegurar a sua transparência e contribuir para eleições justas e claras.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Presidente de Timor solicita constitucionalidade de diplomas aprovados no Parlamento

Em causa está a nova formulação das Leis do Fundo Petrolífer...

Timor-Leste    13 agosto 2019

Alemanha suspende investimentos no Brasil

Na base da decisão está a política ambiental do Governo Bras...

Brasil    12 agosto 2019

Há 500 anos começava a primeira viagem de circum-navegação

Há 500 anos o português Fernão de Magalhães e o espanhol Seb...

Portugal    10 agosto 2019

Angola e Cabo Verde acordam fim da dupla tributação

Os governos de Angola e Cabo Verde assinaram, quinta-feira e...

Geral    09 agosto 2019

Umaro Sissoco Embaló é candidato às Presidenciais

O MADEM-G15, Movimento para a Alternância Democrata – G15, r...

Guiné-Bissau    09 agosto 2019