Ainda durante a visita de João Lourenço à Rússia, e num encontro com estudantes angolano no país, o chefe de Estado afirmou que é preciso formar mais quadros angolanos para que o país possa ter menos necessidade de estrangeiros.

“Não podemos dar-nos como satisfeitos. Temos que continuar nesta luta de formar, de modo incessante, mais e melhores quadros, para ver se reduzimos a importação de quadros estrangeiros”, afirmou o chefe de Estado na presença de um pequeno grupo de estudantes, em representação dos mais de 1800 jovens de Angola que estudam em Moscovo, alguns deles na Universidade Russa de Amizade e Solidariedade com os Povos, onde decorreu este encontro.

Apesar destes anseios João Lourenço admitiu que apesar do número de especialistas estrangeiros a trabalhar no país ser "bastante elevado", a situação não se resolverá da noite para o dia e o país poderá precisar, sempre, e em alguns casos de quadros vindos de outros países. 

Para João Lourenço o país tem de deixar de se limitar à produção de petróleo e diamante e apostar no desenvolvimento de outras indústrias, do turismo e da agricultura, com quadros angolanos.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

PAIGC avança para primárias antes das Presidenciais

O Partido para a Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde ...

Guiné-Bissau    22 agosto 2019

Carlos Gomes Júnior apresenta candidatura a Presidente da Guiné-Bissau

O antigo Primeiro-Ministro guineense promete lutar, de forma...

Guiné-Bissau    14 agosto 2019

Presidente de Timor solicita constitucionalidade de diplomas aprovados no Parlamento

Em causa está a nova formulação das Leis do Fundo Petrolífer...

Timor-Leste    13 agosto 2019

Alemanha suspende investimentos no Brasil

Na base da decisão está a política ambiental do Governo Bras...

Brasil    12 agosto 2019

Companhia Aérea de Cabo Verde retoma voos domésticos

A empresa vai operar para as ilhas de Santiago e São Vicente...

Cabo Verde    12 agosto 2019