O Presidente brasileiro determinou que as Forças Armadas brasileiras assinalem, de forma “devida”, a acção que levou à ditadura militar naquele país lusófono, em 1964.

A iniciativa decorrerá, em todos os quartéis, no último dia do mês. O movimento, ocorrido há 55 anos, derrubou o Governo de João Goulart , dando lugar a um regime ditatorial que durou 21 anos.

O período ficou marcado pela morte e tortura de dezenas de opositores políticos, assim como pela ilegalização dos partidos políticos e estabelecimento da censura.

Há nove anos, Dilma Rousseff decidiu suspender qualquer iniciativa militar relacionada com o golpe e lançar a Comissão Nacional da Verdade para esclarecer as violações de direitos humanos, cometidas, de 18 de Setembro de 1946  a 5 de Outubro de 1988, por agente públicos ou pessoas ao serviço do regime.

A delegação, que desagradou aos militares, concluiu os seus trabalhos, no final de 2014, com a entrega de relatório – identificando 377 agentes públicos envolvidos em práticas ilegais, e propondo que os órgãos competentes determinassem a responsabilidade jurídica - criminal, civil e administrativa – daqueles que estiveram envolvidos nesses crimes contra a humanidade. O grupo sugeriu também que as Forças Armadas reconhecessem a sua responsabilidade institucional nas violações de direitos humanos durante a ditadura.

A iniciativa de Jair Bolsonaro tem por objectivo branquear os excessos cometidos, justificando-os como resultado da Guerra Fria.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Luto Nacional em Cabo Verde por morte do 1º bispo cabo-verdiano

O governo de Cabo Verde decretou dois dias de Luto Nacional ...

Cabo Verde    19 junho 2019

Presidenciais agendadas para 24 de novembro na Guiné-Bissau

O Presidente da República da Guiné-Bissau agendou, para 24 d...

Guiné-Bissau    19 junho 2019

Cimeira de Negócios Estados Unidos e África decorre em Maputo

A iniciativa vai de hoje a sexta-feira, envolvendo delegaçõe...

Moçambique    18 junho 2019

Fim da crise política na Guiné-Bissau?

A poucos dias do final do seu mandato, enquanto presidente d...

Guiné-Bissau    18 junho 2019

Corrupção e novos rostos no VII Congresso Extraordinário do MPLA

O VII Congresso Extraordinário do MPLA terminou com novidade...

Angola    18 junho 2019