Entre essas firmas, encontram-se as marcas Timberland, Vanda, as Lojas H&M e o Grupo Salmon. As três primeiras deixaram de utilizar couro brasileiro, enquanto a última parou de comprar soja.

Estas decisões foram tomadas após os incêndios que devastaram milhões de hectares de floresta, na Amazónia.

Nenhuma relaciona directamente o impacto desses fogos às medidas que tomaram, mas avançaram com razões ambientais.

O produtor norueguês de salmão justifica que pretende contribuir para redução de emissões de carbono decorrentes da produção de soja, enquanto as duas primeiras marcas de calçado e vestuário preferiram ligar o corte a medidas de segurança tendentes a reduzir os danos na natureza.

A H&M relaciona a suspensão das compras de couro com as políticas do Governo brasileiro. A cadeia sueca afirma que vai manter a resolução enquanto o executivo não comprovar que a produção de bovinos é sustentável e não prejudica a natureza.

O Ministério da Agricultura do Brasil tenta desvalorizar a situação, dando a ideia que o impacto nas exportações do país é uma gota de água no oceano, mas promete provar aos compradores internacionais que a agricultura e a pecuária que praticam é sustentável do ponto de vista ambiental, não contribuindo para os danos na floresta.

 

Foto: Nasa

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

CEDEAO quer fim de contenda eleitoral

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que ...

Guiné-Bissau    12 fevereiro 2020

Novo governo moçambicano toma posse

Tomou posse, dois dias depois da investidura de Filipe Nyusi...

Moçambique    18 janeiro 2020

Filipe Nyusi toma posse para um segundo mandato

Filipe Nyusi tomou posse, esta quarta-feira, para um segundo...

Moçambique    16 janeiro 2020

Umaro Sissoco Embaló eleito Presidente da Guiné-Bissau

O candidato do MADEM ultrapassou Domingos Simões Pereira por...

Guiné-Bissau    01 janeiro 2020

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019