O Partido da Renovação Social, PRS, foi o último, das principais formações guineenses, a fazer uma primeira declaração sobre as eleições Legislativas no país. Já esta terça-feira, Vítor Pereira, aos jornalistas, afirmou que, "de acordo com as informações que os partidos têm, nenhuma das forças políticas atingiu sequer a barra dos 40 deputados".

Esta posição foi seguida de críticas ao PAIGC por "ser falsa a informação de maioria folgada que o PAIGC sustenta para semear a confusão". Ontem, o porta-voz do partido fundado por Amílcar Cabral, anunciara "que os guineenses deram ao PAIGC os poderes necessários para administrar" o país.  

Vítor Pereira acrescentou que "o futuro" do país "terá de ser decidido no novo quadro parlamentar". O PRS considerou também que não é sensato pronunciar-se sobre os resultados eleitorais antes da sua divulgação oficial. Para amanhã está previsto o anuncio dos mesmos pela Comissão Nacional de Eleições.

 

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Demitidos dois Ministro na Guiné-Bissau

O chefe do Governo guineense exonerou os titulares das pasta...

Guiné-Bissau    17 maio 2019

Milhares de brasileiros protestaram contra o Governo de Bolsonaro

As manifestações decorreram em mais de duas centenas de cida...

Brasil    16 maio 2019

Angola candidata-se à Organização Internacional da Francofonia

Aquele país lusófono pretende ser membro observador da comun...

Angola    16 maio 2019

Universitários brasileiros protestam contra cortes nos financiamentos

À iniciativa de estudantes que frequentam o ensino superior ...

Brasil    15 maio 2019

Presidente de Moçambique preocupado com ataques no Norte do país

Pela primeira vez, Filipe Nyusi assumiu publicamente a gravi...

Moçambique    15 maio 2019