A Missão da União Africana faz um balanço positivo das Eleições Legislativas na Guiné-Bissau. Com base no trabalho desenvolvido pelos seus observadores em 143 mesas de voto, a organização considera que a votação e o escrutínio decorreram "num clima de paz e serenidade", bem como de acordo com as práticas internacionais e as Leis do país. 

No final de uma longa declaração, proferida pelo chefe da missão, o são-tomense Joaquim Rafael Branco, antigo Primeiro-ministro do seu país , e nome da entidade que representa recomenda que a Comissão Nacional de Eleições seja dotada "dos meios necessários" ao "exercício das suas funções"  e que o recenseamento eleitoral seja melhorado. Do relatório preliminar consta também a sugestão aos partidos relativa à preservação do diálogo politico, da tolerância e do consenso.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

PAIGC avança para primárias antes das Presidenciais

O Partido para a Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde ...

Guiné-Bissau    22 agosto 2019

Carlos Gomes Júnior apresenta candidatura a Presidente da Guiné-Bissau

O antigo Primeiro-Ministro guineense promete lutar, de forma...

Guiné-Bissau    14 agosto 2019

Presidente de Timor solicita constitucionalidade de diplomas aprovados no Parlamento

Em causa está a nova formulação das Leis do Fundo Petrolífer...

Timor-Leste    13 agosto 2019

Alemanha suspende investimentos no Brasil

Na base da decisão está a política ambiental do Governo Bras...

Brasil    12 agosto 2019

Companhia Aérea de Cabo Verde retoma voos domésticos

A empresa vai operar para as ilhas de Santiago e São Vicente...

Cabo Verde    12 agosto 2019