A Missão da União Africana faz um balanço positivo das Eleições Legislativas na Guiné-Bissau. Com base no trabalho desenvolvido pelos seus observadores em 143 mesas de voto, a organização considera que a votação e o escrutínio decorreram "num clima de paz e serenidade", bem como de acordo com as práticas internacionais e as Leis do país. 

No final de uma longa declaração, proferida pelo chefe da missão, o são-tomense Joaquim Rafael Branco, antigo Primeiro-ministro do seu país , e nome da entidade que representa recomenda que a Comissão Nacional de Eleições seja dotada "dos meios necessários" ao "exercício das suas funções"  e que o recenseamento eleitoral seja melhorado. Do relatório preliminar consta também a sugestão aos partidos relativa à preservação do diálogo politico, da tolerância e do consenso.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Demitidos dois Ministro na Guiné-Bissau

O chefe do Governo guineense exonerou os titulares das pasta...

Guiné-Bissau    17 maio 2019

Milhares de brasileiros protestaram contra o Governo de Bolsonaro

As manifestações decorreram em mais de duas centenas de cida...

Brasil    16 maio 2019

Angola candidata-se à Organização Internacional da Francofonia

Aquele país lusófono pretende ser membro observador da comun...

Angola    16 maio 2019

Universitários brasileiros protestam contra cortes nos financiamentos

À iniciativa de estudantes que frequentam o ensino superior ...

Brasil    15 maio 2019

Presidente de Moçambique preocupado com ataques no Norte do país

Pela primeira vez, Filipe Nyusi assumiu publicamente a gravi...

Moçambique    15 maio 2019