O MS-PRS, Movimento de Salvação do Partido da Renovação Social e da Memória de Kumba Iala acusa a direção do Partido de Renovação Social de "corrupção", "clientelismo" e "nepotismo" na escolha dos candidatos às eleições e a cargos públicos durante os governos que integrou. A informação foi avançada, em conferência de imprensa, pelo coordenador do movimento. Ibraima Sori Djaló exigiu a demissão imediata da atual direção do PRS, liderada por Alberto Nambeia.

Ainda não houve resposta por parte dos dirigentes do PRS, Sori Djaló diz que se a direção não se demitir o Movimento de Salvação do PRS avançará com uma queixa-crime no Ministério Público por corrupção, por parte da direção da formação, nos últimos três anos.

Na semana passada, numa carta dirigida ao líder do PRS, o movimento exigia que a direção se responsabilizasse pelo "desastroso resultado" nas eleições Legislativas de 10 de março. O PRS passou de segunda a terceira formação mais votada e perdeu metade dos deputados. 

 

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Cabo Verde primeiro país africano a aderir à descarbonização dos transportes

A cerimónia de adesão à referida Aliança decorreu hoje, 24 d...

Cabo Verde    24 abril 2019

Tribunal reduz pena a Lula da Silva

O Superior Tribunal de Justiça do Brasil decidiu passar de 1...

Brasil    24 abril 2019

Aprovada proposta de lei para criação de autarquias em Angola

Foi aprovada, pelo Parlamento angolano, na generalidade, a p...

Angola    23 abril 2019

Presidente de Moçambique na China

Filipe Nyusi está, em Pequim, para participar no segundo Fór...

Moçambique    22 abril 2019

Países lusófonos entre a boa e a difícil situação no que toca a liberdade de imprensa

Portugal subiu dois lugares na classificação dos Repórteres ...

Geral    22 abril 2019