O chefe do Governo guineense exonerou os titulares das pastas da Agricultura e do Interior. De acordo com Aristides Gomes, os dois Ministros estão envolvidos “na prática de actos moral e juridicamente censuráveis”.

O primeiro tinha, numa propriedade sua, várias toneladas de arroz doado pelo Estado chinês.

O caso levou a Polícia Judiciária a emitir mandado para a detenção de Nicolau dos Santos, não consumado pela acção de elementos da Segurança de Estado.

O segundo validou a iniciativa dos militares e, segundo o Primeiro-Ministro, justificou-a de forma ofensiva e injuriosa quando por si confrontado pelo sucedido.

O chefe de Governo assume as pastas dos Ministros demitidos até à tomada de posse do novo Governo.

No âmbito da operação “Arroz do Povo” a Polícia Judiciária encontrou também toneladas de arroz em instalações de Conselheiro Especial do Presidente da República. No âmbito da investigação foram detidas três pessoas, continuando pendente o mandado contra Nicolau dos Santos.

O cereal apreendido está a ser distribuído, em sacas de 50 quilos, à população carenciada da Guiné-Bissau.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Carlos Gomes Júnior apresenta candidatura a Presidente da Guiné-Bissau

O antigo Primeiro-Ministro guineense promete lutar, de forma...

Guiné-Bissau    14 agosto 2019

Presidente de Timor solicita constitucionalidade de diplomas aprovados no Parlamento

Em causa está a nova formulação das Leis do Fundo Petrolífer...

Timor-Leste    13 agosto 2019

Alemanha suspende investimentos no Brasil

Na base da decisão está a política ambiental do Governo Bras...

Brasil    12 agosto 2019

Companhia Aérea de Cabo Verde retoma voos domésticos

A empresa vai operar para as ilhas de Santiago e São Vicente...

Cabo Verde    12 agosto 2019

Há 500 anos começava a primeira viagem de circum-navegação

Há 500 anos o português Fernão de Magalhães e o espanhol Seb...

Portugal    10 agosto 2019