A organização aprovou o programa de apoio técnico ao executivo daquele país. O plano – de acordo com o Fundo Monetário Internacional – destina-se a relançar o crescimento económico, bem como a melhorar a governação e a transparência nos organismos e empresas estatais.

O projecto visa reduzir o défice orçamental, aumentar as receitas não petrolíferas, combater os pontos fracos da gestão pública e garantir os investimentos sociais.

Devido a forte dependência das exportações de petróleo, afectada pelas quebras nos preços e na produção, nos últimos quatro anos, a Guiné Equatorial entrou em recessão.

A situação experimentou melhoras no ano passado, mas o país continua a carecer de instrumentos de combate aos desequilíbrios macroeconómicos e à contracção da economia, que melhorem o financiamento às empresas e o ambiente de negócios.

Para o organismo internacional, o apoio agora aprovado deve permitir o fortalecimento das finanças públicas, a reconstrução das almofadas macroeconómicas e a melhoria das perspectivas de crescimento económico.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Carlos Gomes Júnior apresenta candidatura a Presidente da Guiné-Bissau

O antigo Primeiro-Ministro guineense promete lutar, de forma...

Guiné-Bissau    14 agosto 2019

Presidente de Timor solicita constitucionalidade de diplomas aprovados no Parlamento

Em causa está a nova formulação das Leis do Fundo Petrolífer...

Timor-Leste    13 agosto 2019

Alemanha suspende investimentos no Brasil

Na base da decisão está a política ambiental do Governo Bras...

Brasil    12 agosto 2019

Companhia Aérea de Cabo Verde retoma voos domésticos

A empresa vai operar para as ilhas de Santiago e São Vicente...

Cabo Verde    12 agosto 2019

Há 500 anos começava a primeira viagem de circum-navegação

Há 500 anos o português Fernão de Magalhães e o espanhol Seb...

Portugal    10 agosto 2019