Trinta e seis presos políticos continuam a aguardar, no cárcere, a aplicação da amnistia que lhes foi concedida pelo Presidente da República.

O decreto, assinado por Teodoro Obiang, está em vigor desde o dia 10. O perdão foi concedido no âmbito das comemorações dos 50 anos da independência da Guiné Equatorial de Espanha.

Os cidadãos abrangidos pelo indulto, militantes do Partido, Cidadãos para a Inovação, continuam privados de visitas.

Aqueles políticos foram condenados, a pesadas prisão, sob a acusação de rebelião, em Aconibe, durante a campanha eleitoral. Os detidos foram impedidos, pela polícia, de entrar naquela cidade, a fim de participarem num comício. Os agentes carregaram sobre os manifestantes e dispararam para os dispersar.

As autoridades da Guiné-Equatorial ainda não justificaram a retenção dos indultados nas prisões de Evinayong e de Black Beach, em Malabo.

 

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Cabo Verde primeiro país africano a aderir à descarbonização dos transportes

A cerimónia de adesão à referida Aliança decorreu hoje, 24 d...

Cabo Verde    24 abril 2019

Tribunal reduz pena a Lula da Silva

O Superior Tribunal de Justiça do Brasil decidiu passar de 1...

Brasil    24 abril 2019

Aprovada proposta de lei para criação de autarquias em Angola

Foi aprovada, pelo Parlamento angolano, na generalidade, a p...

Angola    23 abril 2019

Presidente de Moçambique na China

Filipe Nyusi está, em Pequim, para participar no segundo Fór...

Moçambique    22 abril 2019

Países lusófonos entre a boa e a difícil situação no que toca a liberdade de imprensa

Portugal subiu dois lugares na classificação dos Repórteres ...

Geral    22 abril 2019