A alteração foi aprovada, na especialidade, por todos os partidos representados na Assembleia da República, nomeadamente a FRELIMO, a RENAMO e o MDM.

A modificação vai permitir a descentralização do país, uma medida defendida pelo segundo maior partido moçambicano para a consolidação da paz no país.

Com esta mudança, a partir do próximo ano, os Governadores das Províncias passam a ser eleitos, como pretendia a RENAMO. O Presidente do Grupo de Contacto para a Paz em Moçambique já felicitou os dirigentes moçambicanos pela aprovação da medida. Mirko Manzoni considera-a um “passo histórico” no sentido de “descentralizar e desconcentrar o poder para o povo”.

O diplomata suíço observa que é um exemplo não só para o Continente Africano, mas para a Comunidade Internacional, esperando que esse “espírito se se mantenha no que toca aos assuntos militares”.

 

Foto: @gpm.mz

 

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

CEDEAO quer fim de contenda eleitoral

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que ...

Guiné-Bissau    12 fevereiro 2020

Novo governo moçambicano toma posse

Tomou posse, dois dias depois da investidura de Filipe Nyusi...

Moçambique    18 janeiro 2020

Filipe Nyusi toma posse para um segundo mandato

Filipe Nyusi tomou posse, esta quarta-feira, para um segundo...

Moçambique    16 janeiro 2020

Umaro Sissoco Embaló eleito Presidente da Guiné-Bissau

O candidato do MADEM ultrapassou Domingos Simões Pereira por...

Guiné-Bissau    01 janeiro 2020

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019