A alteração foi aprovada, na especialidade, por todos os partidos representados na Assembleia da República, nomeadamente a FRELIMO, a RENAMO e o MDM.

A modificação vai permitir a descentralização do país, uma medida defendida pelo segundo maior partido moçambicano para a consolidação da paz no país.

Com esta mudança, a partir do próximo ano, os Governadores das Províncias passam a ser eleitos, como pretendia a RENAMO. O Presidente do Grupo de Contacto para a Paz em Moçambique já felicitou os dirigentes moçambicanos pela aprovação da medida. Mirko Manzoni considera-a um “passo histórico” no sentido de “descentralizar e desconcentrar o poder para o povo”.

O diplomata suíço observa que é um exemplo não só para o Continente Africano, mas para a Comunidade Internacional, esperando que esse “espírito se se mantenha no que toca aos assuntos militares”.

 

Foto: @gpm.mz

 

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019

Autoridades portuguesas desmantelam rede de imigração ilegal

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras desarticulou um grupo...

Portugal    22 dezembro 2019

Pesticidas fatais para abelhas predominantes em fruta e hortaliças do Brasil

A Agência de Vigilância Sanitária verificou que mais de meta...

Brasil    21 dezembro 2019

Estado angolano procura resgatar milhões de euros

A verba – estimada em perto de seis mil milhões de euros – f...

Angola    20 dezembro 2019

Parlamentares recusam participar na contenção da despesa pública de Timor

A maioria dos deputados rejeitou a proposta, feita pelo Gove...

Todas as Notícias    15 dezembro 2019