O arranque da construção da plataforma flutuante para extração e liquefação de gás natural, ao largo de Moçambique, está previsto para setembro. A exploração estará a cargo de um consórcio liderado pela petrolífera italiana Eni. A informação é avançada pelo portal na internet upstreamonline que falou com fonte do estaleiro sul-coreano Samsung Heavy Industries encarregue, pela Eni, da construção da plataforma que terá 439 metros de comprimento, 65 de largura e pesará cerca de 210.000 toneladas. O prazo para a construção é de cerca de 60 meses.

O acordo entre a Eni e a Samsung Heavy Industries foi feito em maio de 2017. Espera-se, desta plataforma, uma produção anual de três milhões de toneladas de gás natural liquefeito, que será vendido BP, pelo menos durante 20 anos.

A portuguesa Galp faz também parte, ainda que indiretamente, deste consórcio.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

CEDEAO quer fim de contenda eleitoral

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que ...

Guiné-Bissau    12 fevereiro 2020

Novo governo moçambicano toma posse

Tomou posse, dois dias depois da investidura de Filipe Nyusi...

Moçambique    18 janeiro 2020

Filipe Nyusi toma posse para um segundo mandato

Filipe Nyusi tomou posse, esta quarta-feira, para um segundo...

Moçambique    16 janeiro 2020

Umaro Sissoco Embaló eleito Presidente da Guiné-Bissau

O candidato do MADEM ultrapassou Domingos Simões Pereira por...

Guiné-Bissau    01 janeiro 2020

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019