O anúncio foi feito pelo Comandante-geral da corporação.  De acordo com Bernardino Rafael ”algumas das pessoas que estão a promover guerra nalguns distritos de Cabo Delgado” dedicam-se à extracção  de pedras preciosas, em Montepuez.

Para aquele oficial superior, o financiamento começou como retaliação a operação policial, contra o garimpo ilegal, naquele distrito do interior de Moçambique, seis meses antes do primeiro ataque a Macímboa da Praia.

Na altura, início de 2017, os agentes detiveram vários garimpeiros ilegais, tendo-os levado a tribunal.

No final desse ano, a Polícia anunciou a identificação de pessoas que considerou cabecilhas dos grupos armados. Dos 189 presumíveis criminosos, apenas 37 foram condenados a penas de prisão.

O seu julgamento terminou há um mês, enquanto os ataques continuavam a aldeias recônditas e a pessoas isoladas na Província de Cabo Delgado.

As acções dos criminosos fizeram duas centenas de mortos, dezenas de feridos e milhares de desalojados. Os bandidos saqueiam e incendeiam as povoações ao entardecer ou durante a noite, lançando o pânico entre os seus habitantes e provocando o seu êxodo, nomeadamente para a ilha de Ibo, onde se encontram mais seguras.

As autoridades têm lançado operações contra aquela guerrilha, mas sem conseguirem acabar com os ataques.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

CEDEAO quer fim de contenda eleitoral

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que ...

Guiné-Bissau    12 fevereiro 2020

Novo governo moçambicano toma posse

Tomou posse, dois dias depois da investidura de Filipe Nyusi...

Moçambique    18 janeiro 2020

Filipe Nyusi toma posse para um segundo mandato

Filipe Nyusi tomou posse, esta quarta-feira, para um segundo...

Moçambique    16 janeiro 2020

Umaro Sissoco Embaló eleito Presidente da Guiné-Bissau

O candidato do MADEM ultrapassou Domingos Simões Pereira por...

Guiné-Bissau    01 janeiro 2020

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019