Foi frente a cerca de 80 mil fiéis, num dia de chuva, que o Papa Francisco, o sumo pontífice da Igreja Católica, rezou missa e apelou à paz e reconciliação no país:

"Não há melhor maneira de guardar a esperança do que permanecer unidos, para que todos os motivos que a sustentam se consolidem num futuro de reconciliação e de paz em Moçambique", afirmou Francisco durante a homilia, no estádio nacional do Zimpeto, na cidade da Matola, na qual reconheceu ser "difícil falar de reconciliação" porque "as feridas causadas por tantos anos de discórdias" ainda não sararam. O Papa frisou que é preciso perdoar o que não significa "ignorar o sofrimento nem pedir que se apague a memória"

O fim da visita do Papa a Moçambique, com esta missa campal, aconteceu um mês depois do governo moçambicano e da RENAMO, o maior partido da oposição no país terem assinado um acordo de paz e reconciliação definitiva. Mais um passo para o fim das hostilidades, iniciado pelo Presidente moçambicano e pelo falecido líder histórico da Resistência Nacional Moçambicana Jonas Savimbi.

 

(Foto: @NyusiConfioemti)

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Dirigente parlamentar da UNITA eleito Presidente do partido

Adalberto da Costa Júnior foi escolhido, à primeira volta, n...

Angola    16 novembro 2019

Seleção da Guiné-Bissau abre qualificação para CAF 2021 a ganhar

Foi com um rotundo 3-1 que a seleção de futebol da Guiné-Bis...

Guiné-Bissau    14 novembro 2019

Presidente angolano visita o Papa no Vaticano

Foi na segunda-feira à noite que o chefe de Estado angolano ...

Angola    13 novembro 2019

UNITA elege novo presidente em congresso

Arranca hoje o XIII Congresso Ordinário da UNITA, União Naci...

Angola    13 novembro 2019

CEDEAO lança aviso a José Mário Vaz

A Comunidade dos Países da África Ocidental transmitiu ao Ch...

Guiné-Bissau    13 novembro 2019