As foças políticas suspenderam a campanha sobre o referendo de saída do Reino Unido da União Europeia. A decisão foi tomada após o assassinato da deputada do Partido Trabalhista, Jo Cox. A notícia levou a que as duas frentes em confronto suspendessem as suas actividades. David Cameron, em Gibraltar, cancelou o discurso que tinha preparado. Boris Johnson, ex-presidente da câmara de Londres, principal rosto na campanha a favor da saída, interrompeu imediatamente a campanha. Na sequência do ataque, a polícia prendeu um homem de 52 anos que a imprensa britânica identificou como sendo Thomas Mair. Jo Cox nasceu na cidade de Batley, em 1974, e em 1995 licenciou-se em Estudos Sociais e Políticos pela Universidade de Cambridge. Jo Cox deixa dois filhos, um de três e outro de cinco anos. O marido da deputada britânica escreveu em comunicado que “eu, os amigos e a família vamos lutar toda a vida para criar os nossos filhos e para lutar contra o ódio que a matou ".

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Ao terceiro jogo angolanas ganham e Brasileiras perdem no Mundial de Andebol feminino

A terceira jornada da fase de grupos da competição ditou a p...

Geral    04 dezembro 2019

Primeiro-Ministro de Timor defende Orçamento Geral do Estado

Taur Matan Ruak considera que a despesa inscrita no document...

Timor-Leste    03 dezembro 2019

Governo estuda privatização do Banco do Brasil

A proposta está a ser elaborada pelo Ministério da Economia ...

Brasil    03 dezembro 2019

Sortes diferentes para angolanas e brasileiras no Mundial de Andebol

Na segunda jornada da prova, as representantes de Angola per...

Geral    03 dezembro 2019

Portugal vence Mundial de Futebol de Praia

É a terceira vez que a selecção lusa concretiza esse objecti...

Portugal    02 dezembro 2019