As foças políticas suspenderam a campanha sobre o referendo de saída do Reino Unido da União Europeia. A decisão foi tomada após o assassinato da deputada do Partido Trabalhista, Jo Cox. A notícia levou a que as duas frentes em confronto suspendessem as suas actividades. David Cameron, em Gibraltar, cancelou o discurso que tinha preparado. Boris Johnson, ex-presidente da câmara de Londres, principal rosto na campanha a favor da saída, interrompeu imediatamente a campanha. Na sequência do ataque, a polícia prendeu um homem de 52 anos que a imprensa britânica identificou como sendo Thomas Mair. Jo Cox nasceu na cidade de Batley, em 1974, e em 1995 licenciou-se em Estudos Sociais e Políticos pela Universidade de Cambridge. Jo Cox deixa dois filhos, um de três e outro de cinco anos. O marido da deputada britânica escreveu em comunicado que “eu, os amigos e a família vamos lutar toda a vida para criar os nossos filhos e para lutar contra o ódio que a matou ".

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Presidente de Timor solicita constitucionalidade de diplomas aprovados no Parlamento

Em causa está a nova formulação das Leis do Fundo Petrolífer...

Timor-Leste    13 agosto 2019

Alemanha suspende investimentos no Brasil

Na base da decisão está a política ambiental do Governo Bras...

Brasil    12 agosto 2019

Há 500 anos começava a primeira viagem de circum-navegação

Há 500 anos o português Fernão de Magalhães e o espanhol Seb...

Portugal    10 agosto 2019

Angola e Cabo Verde acordam fim da dupla tributação

Os governos de Angola e Cabo Verde assinaram, quinta-feira e...

Geral    09 agosto 2019

Umaro Sissoco Embaló é candidato às Presidenciais

O MADEM-G15, Movimento para a Alternância Democrata – G15, r...

Guiné-Bissau    09 agosto 2019