A consulta foi no domingo, mas a Comissão Eleitoral Nacional continua a manter os dados provisórios. A situação decorre da recontagem dos votos brancos e nulos solicitado pelo partido no poder, na esperança de obter a maioria absoluta que lhe fugiu na primeira operação de verificação dos votos.

A operação, conduzida pelo recém criado Tribunal Constitucional, foi logo contestada pelos partidos da oposição, que viram nela uma artimanha do Presidente da ADI e Primeiro-Ministro para dar a volta aos resultados, de forma fraudulenta. A preocupação dessas forças políticas resulta da constituição do organismo, feita unilateralmente pela ADI e com juízes do seu universo.

Em Água Grande, a repetição gerou a resposta violenta de jovens manifestantes. O grupo incendiou a viatura em que a juíza encarregada do processo se fazia transportar. Na sequência do acto, alegando falta de apoio da Comissão Nacional Eleitoral e dos seus pares do Tribunal Constitucional apresentou a demissão do cargo.

De acordo com os dados provisórios das Eleições, a ADI obteve 25 deputados o MLSTP/PSD, 23, a coligação do PCD/MDFM-UDD, cinco e o MCISTP, dois. Este resultado permitiria à segunda e terceira forças mais votadas formar Governo, dado o acordo, nesse sentido, anunciado antes do acto elitoral. A intenção já foi transmitida ao Presidente. Evaristo Carvalho foi instado, a “queimar etapas”, convidando o grupo de partidos a formar o novo Executivo do país.

No entanto, mesmo a manter-se aquela distribuição de lugares no Parlamento, o Chefe de Estado - saído das fileiras da ADI - deve solicitar, em primeiro lugar, a Patrice Trovoada que forme Governo, enquanto dirigente do partido mais votado.

O Partido convocou, para amanhã, uma manifestação de apoio ao Tribunal Constitucional e à recontagem dos votos.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

CEDEAO quer fim de contenda eleitoral

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que ...

Guiné-Bissau    12 fevereiro 2020

Novo governo moçambicano toma posse

Tomou posse, dois dias depois da investidura de Filipe Nyusi...

Moçambique    18 janeiro 2020

Filipe Nyusi toma posse para um segundo mandato

Filipe Nyusi tomou posse, esta quarta-feira, para um segundo...

Moçambique    16 janeiro 2020

Umaro Sissoco Embaló eleito Presidente da Guiné-Bissau

O candidato do MADEM ultrapassou Domingos Simões Pereira por...

Guiné-Bissau    01 janeiro 2020

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019