A maioria dos deputados reverteu as decisões tomadas, no final da legislatura, pelos representantes da ADI, por as considerar ilegais, nomeadamente à luz da Constituição do país.

Assim, o Presidente e os restantes conselheiros do mais alto juízo do país, afastados e passados à reforma por aqueles parlamentares, retomaram as suas funções.

A exoneração compulsiva dos juízes Silva Cravid, Frederico da Gloria e Alice Vera Cruz resultou da decisão de restituir a Cervejeira Rosema ao empresário angolano Mello Xavier, contrariamente ao que pretendia o então Chefe de Governo de São Tomé.

A decisão agora tomada contou com o apoio dos 28 deputados da actual maioria. Contra votaram 19, 17 da ADI e dois do Movimento Caué. Sete deputados da primeira das duas forças políticas não participaram na votação.

A resolução comporta a cessação de funções dos magistrados nomeados para o organismo pela maioria parlamentar anterior, bem como a perda dos direitos e regalias que detinham enquanto ocuparam aqueles lugares.

No espaço de 30 dias, o Parlamento irá votar a constituição do Tribunal Constitucional, de acordo com a nova configuração partidária da Assembleia Nacional.

 

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Demitidos dois Ministro na Guiné-Bissau

O chefe do Governo guineense exonerou os titulares das pasta...

Guiné-Bissau    17 maio 2019

Milhares de brasileiros protestaram contra o Governo de Bolsonaro

As manifestações decorreram em mais de duas centenas de cida...

Brasil    16 maio 2019

Angola candidata-se à Organização Internacional da Francofonia

Aquele país lusófono pretende ser membro observador da comun...

Angola    16 maio 2019

Universitários brasileiros protestam contra cortes nos financiamentos

À iniciativa de estudantes que frequentam o ensino superior ...

Brasil    15 maio 2019

Presidente de Moçambique preocupado com ataques no Norte do país

Pela primeira vez, Filipe Nyusi assumiu publicamente a gravi...

Moçambique    15 maio 2019