Cerca de 10 mil residentes na capital moçambicana assinaram uma petição contra a construção desordenada e exigem a melhoria da qualidade de vida.

O requerimento foi entregue no Ministério das Obras Públicas e Habitação e ao Conselho Municipal de Maputo.

O documento apela a uma intervenção urgente das duas entidades com o objectivo de travar o que consideram um sério atropelo ás regras de ordenamento urbano da cidade.

Os moradores criticam a construção de moradias e edifícios em zonas já consolidadas, com impacto negativo. A implantação de novos projectos imobiliários nessas áreas põe em causa, segundo eles, o ordenamento urbano, bem como contribui para agudizar as desigualdades no seio do tecido social da capital moçambicana.

Os requerentes criticam ainda a destruição de mangais e o aumento do parque automóvel sem a necessária construção de parques de estacionamento.

 

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

CEDEAO quer fim de contenda eleitoral

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que ...

Guiné-Bissau    12 fevereiro 2020

Novo governo moçambicano toma posse

Tomou posse, dois dias depois da investidura de Filipe Nyusi...

Moçambique    18 janeiro 2020

Filipe Nyusi toma posse para um segundo mandato

Filipe Nyusi tomou posse, esta quarta-feira, para um segundo...

Moçambique    16 janeiro 2020

Umaro Sissoco Embaló eleito Presidente da Guiné-Bissau

O candidato do MADEM ultrapassou Domingos Simões Pereira por...

Guiné-Bissau    01 janeiro 2020

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019