O entendimento foi assinado pelos três partidos com representação no Parlamento de Moçambique.

Sobre esta matéria já havia uma combinação entre os Presidentes da FRELIMO e da RENAMO.

O memorando define a forma como vão ser escolhidos, a partir de 2019, os Governadores das Províncias e os Presidentes dos Municípios.

Os futuros ocupantes destes cargos vão ser os cabeças de lista dos partidos e grupos de cidadãos mais votados nas eleições para Governadores provinciais e Presidentes de Câmara.

Inicialmente o Presidente de Moçambique propusera que esses dignitários fossem escolhidos pelos partidos ou grupos de cidadãos que vencessem as Eleições em cada Província ou Município. A evolução para o agora acordado resulta do facto de da proposta de Filipe Nyusi “estar inquinada de inconstitucionalidade material”, de acordo com o Presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais e de Legalidade do Parlamento Moçambicano.

Falta ainda acertar a forma como vão ser eleitos os Administradores Distritais. Sobre a matéria existem ainda divergências ente as forças parlamentares.

A matéria acordada vai agora ser submetida à Direcção da Assembleia para agendamento da sua discussão e votação.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

CEDEAO quer fim de contenda eleitoral

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que ...

Guiné-Bissau    12 fevereiro 2020

Novo governo moçambicano toma posse

Tomou posse, dois dias depois da investidura de Filipe Nyusi...

Moçambique    18 janeiro 2020

Filipe Nyusi toma posse para um segundo mandato

Filipe Nyusi tomou posse, esta quarta-feira, para um segundo...

Moçambique    16 janeiro 2020

Umaro Sissoco Embaló eleito Presidente da Guiné-Bissau

O candidato do MADEM ultrapassou Domingos Simões Pereira por...

Guiné-Bissau    01 janeiro 2020

Guineenses votam para Presidente da República

Os eleitores da Guiné-Bissau encolhem entre Domingos Simões ...

Guiné-Bissau    29 dezembro 2019