Dezassete anos após a morte de Jonas Savimbi milhares de pessoas assistiram ao seu enterro, no último sábado, na sua terra natal, em Lopitanga, aldeia perto do Andulo, província do Bié. Quatro horas de emoção que tinha já começado a ser vivida no final da semana altura em que os restos mortais do líder histórico da UNITA chegou ao Bié.

Termina assim mais um capítulo polémico da história angolana. Jonas Savimbi, morto em combate em fevereiro de 2002, ficou sepultado no cemitério de Luena, no Moxico. Durante anos questionou-se se seria, de facto, o corpo do fundador do principal partido da oposição do país que estava aí enterrado, enquanto família e formação do Galo Negro pediam a sua transladação. José Eduardo dos Santos recusou sempre o pedido. Foi João Lourenço que se comprometeu a fazê-lo.

A exumação do corpo aconteceu a 31 de janeiro. As análises de ADN - feitas por duas equipas independentes, uma portuguesa, enviada pelo Governo, e uma sul-africana contratada pela UNITA – confirmaram tratar-se de Savimbi.

 

(Foto: @AdalbertoCosta.J)

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Presidente de Timor solicita constitucionalidade de diplomas aprovados no Parlamento

Em causa está a nova formulação das Leis do Fundo Petrolífer...

Timor-Leste    13 agosto 2019

Alemanha suspende investimentos no Brasil

Na base da decisão está a política ambiental do Governo Bras...

Brasil    12 agosto 2019

Há 500 anos começava a primeira viagem de circum-navegação

Há 500 anos o português Fernão de Magalhães e o espanhol Seb...

Portugal    10 agosto 2019

Angola e Cabo Verde acordam fim da dupla tributação

Os governos de Angola e Cabo Verde assinaram, quinta-feira e...

Geral    09 agosto 2019

Umaro Sissoco Embaló é candidato às Presidenciais

O MADEM-G15, Movimento para a Alternância Democrata – G15, r...

Guiné-Bissau    09 agosto 2019