O órgão de soberania invalidou os resultados na autarquia por ter concluído que, durante o processo eleitoral, se registaram “graves irregularidades” que influenciaram o resultado da votação em oito das 39 mesas de voto.

A Renamo recorrera da vitória da Frelimo por considerar que os números apresentados nos editais não correspondiam à realidade. O principal partido da oposição contestou os resultados em mais quatro municípios, mas as suas pretensões não foram atendidas pelo Conselho Constitucional.

A força política reivindica a vitória não só em Marromeu, mas também em Monapo, Alto Molocué, Moatize e Matola.

No entanto, aquele juízo superior acabou por validar o apuramento eleitoral naquelas autarquias, bem como nas restantes 47 por considerar que “as ilegalidades e irregularidades verificadas” e analisadas, “não influenciaram os resultados”.

Assim, a Frelimo dispõe de maioria em 43 municípios, a Renamo, oito, e o MDM, um.

De acordo com a legislação moçambicana, a eleição em Marromeu tem de ser repetida até 25 de Novembro, em data a fixar pelo Conselho de Ministros sob proposta da Comissão Nacional de Eleições.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Ao terceiro jogo angolanas ganham e Brasileiras perdem no Mundial de Andebol feminino

A terceira jornada da fase de grupos da competição ditou a p...

Geral    04 dezembro 2019

Primeiro-Ministro de Timor defende Orçamento Geral do Estado

Taur Matan Ruak considera que a despesa inscrita no document...

Timor-Leste    03 dezembro 2019

Governo estuda privatização do Banco do Brasil

A proposta está a ser elaborada pelo Ministério da Economia ...

Brasil    03 dezembro 2019

Sortes diferentes para angolanas e brasileiras no Mundial de Andebol

Na segunda jornada da prova, as representantes de Angola per...

Geral    03 dezembro 2019

Portugal vence Mundial de Futebol de Praia

É a terceira vez que a selecção lusa concretiza esse objecti...

Portugal    02 dezembro 2019