Manuel Dêndê está impedido, durante quatro anos, de exercer qualquer actividade ligada à modalidade. O dirigente foi ainda condenado a pagar uma multa um pouco superior a 65 mil euros.

O comité da FIFA considerou-o culpado de ter violado os artigos 21 e 22 dos Estatutos da organização, relativos a suborno e corrupção e oferecimento e recepção de presentes e outros benefícios.

A entidade que superintende o futebol a nível mundial considerou que Manuel Dêndê recebeu dinheiro para votar em Mohamed bin Hammam, quando este se candidatou à Presidência da FIFA. Aquele homem do futebol terá pedido cerca de 195 mil euros para construir campos de futebol em São Tomé e Príncipe, dos quais terá recebido pouco mais de 44 mil.

Este esquema tendente à eleição do dirigente do Catar foi denunciado no livro, The Ugly Game, Jogo Feio.

Bin Hammam foi banido do futebol, em 2011, após repetidas denúncias de corrupção, principalmente para obter votos na Eleição Presidencial da Fifa daquele ano.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Cabo Verde primeiro país africano a aderir à descarbonização dos transportes

A cerimónia de adesão à referida Aliança decorreu hoje, 24 d...

Cabo Verde    24 abril 2019

Tribunal reduz pena a Lula da Silva

O Superior Tribunal de Justiça do Brasil decidiu passar de 1...

Brasil    24 abril 2019

Aprovada proposta de lei para criação de autarquias em Angola

Foi aprovada, pelo Parlamento angolano, na generalidade, a p...

Angola    23 abril 2019

Presidente de Moçambique na China

Filipe Nyusi está, em Pequim, para participar no segundo Fór...

Moçambique    22 abril 2019

Países lusófonos entre a boa e a difícil situação no que toca a liberdade de imprensa

Portugal subiu dois lugares na classificação dos Repórteres ...

Geral    22 abril 2019